terça-feira, 19 de outubro de 2010

Meu trabalho

Eu não sei rotular o que eu faço, então vou tentar explicar.

Desde criança sou vidrado em informática. Tudo começou quando um amigo meu me mostrou um CP200 (abaixo), da Prológica. Não estava funcionando, mas emprestei o manual dele, e aprendi noções de BASIC sem nunca ter tocado num computador ligado.

CP-200 da Prológica

A partir daquele momento, meu destino profissional estava traçado. Meu pai me conseguiu um CP400 (abaixo), e nele eu fiz meus primeiros programas e jogos. Depois veio o primeiro PC, um Solution 16 (também da Prológica). Conheci o Clipper e comecei a fazer coisas mais sérias.

CP-400 da Prológica
Solution 16, PC-XT "portátil"
Quando entrei na faculdade (fiz processamento de dados na FATEC Santos, turma de 93) eu já estava trabalhando como programador em uma software house chamada "Teorema". Comecei então a entender de estoque, folha de pagamento, emissão de notas fiscais e por aí a fora. O legal da minha profissão é que você acaba aprendendo uma série de outras profissões. A premissa básica é que para se fazer um programa de alguma coisa, você tem que enteder dessa alguma coisa.

Logotipo da Teorema Softhouse
O tempo passou, veio a internet, e me apaixonei pelos sistemas Web. Tenho orgulho de dizer que fiz um sistema similar ao blog antes do blogger, e outro de comunidades antes do Orkut. Eu fazia esses sistemas e deixava-os rodando em meu computador pessoal, através de uma conexão banda larga (que na época não era tão banda larga assim). Meu maior feito foi o de ter saído em uma matéria no jornal Folha de São Paulo, num comparativo entre os sistemas de blogs. O "Turma do Bar" ficou ao lado de nomes como blig e blogger brasil. Cheguei a ter mais de 3000 blogs, todos eles hospedados em meu computador pessoal com uma conexão ridícula!

É lógico que não deu certo... Era um hobbie e eu não tinha idéia de como conseguir dinheiro com isso. Ninguém iria pagar para ter um blog comigo se poderia ter isso de graça em um concorrente. O interessante é que nunca ví eles como "concorrentes", tanto que todos os templates dos sistema de blogs comuns eram compatíveis com o sistema que eu fiz do "Turma do Bar".

Um dos logos do TB, com alguns de seus personagens. O Lobo sou eu. =)

Depois veio o "Poetas Mortos", que era um "Orkut misturado com Blog". A pessoa se cadastrava, ganhava uma página e podia publicar suas poesias, textos, além de trocar mensagens e comentários com os outros usuários.

Fez algum sucesso, mas o mais importante foram os amigos que consegui. A @Catiaho (Catinha) eu conheci lá. Meu querido amigo Jaime (Carcamano!) também. Do Turma do Bar, ainda tenho contato com a Lú (Gata Negra), com o Mário (Row) e outros tantos.

Bom, mas isso não é trabalho, é hobbie. De trabalho, o que mais fez sucesso foi um sistema web de gestão para laboratórios de análises clínicas. Chama-se LABTEC e é utilizado hoje por diversos laboratórios do litoral sul e norte paulistas. Por conta desse sistema, posso dizer que entendo muito bem o funcionamento de um laboratório! =)

O sistema é muito bom (sem falsa modéstia). Eu o fiz "de cabo a rabo" e tem tudo o que os sistemas mais caros de gestão tem. É ele que "paga" meu salário hoje. Foi feito usando diversas linguagens de programação, entre as principais ASP e Java Script. A base de dados é MySQL. Ele "roda" em três servidores "parrudos" com um link dedicado Embratel. É claro que não sou eu quem pagou isso, mas meu cliente principal, o laboratório Itapema do Guarujá. O custo inicial dessa estrutura (só máquina e software de base) ficou uns 50 mil reais. Eu jamais teria condições para fazer um investimento desse porte, e é por isso que agradeço muito ao Dr. Euclides por ter acreditado em mim.

Um banner do laboratório Itapema.

Hoje eu mantenho esse sistema funcionando, e me dá uma satisfação muito grande saber que mais de 200 pessoas o utilizam todos os dias. Muitas pessoas doentes pegam seus laudos pela internet, com garantia de estar recebendo um resultado confiável graças ao meu sistema. Além disso, pelo menos meia dúzia de hospitais utilizam o labtec 24 horas por dia. O sistema não faz só isso, claro... Mas é isso o que me deixa feliz. É uma responsabilidade bem grande, e eu tenho plena consciência disso.

Meu problema profissional é o lado administrativo. Nunca soube "cobrar", e sempre faço tudo que pedem (desde que eu concorde que é bom para a empresa). Tenho até uma visão crítica de mim mesmo quanto a isso. Talvez se eu tivesse esse lado mais desenvolvido, e também um pouco mais de tato para fazer o lado "social", e mesmo um pouco de ganância, talvez o Labtec estivesse sendo usado por muito mais laboratórios. O fato é que apesar de saber do valor do meu trabalho, nunca sobra dinheiro no final do mês rs...

Não estou reclamando. Acho meu pagamento justo. Posso pagar minhas contas, ter alguns pequenos luxos e sou reconhecido pelo que eu faço por quase todo mundo. Além disso, tem a satisfação de estar fazendo algo que ajuda as pessoas, mesmo que de forma indireta. Sei que ninguém é insubstituível, mas eu amo o que eu faço, e eu acredito mesmo que quando a gente faz algo com amor, ou "tesão", tudo fica mais fácil.

Meu dia-a-dia é bem tranqüilo. O sistema está bem maduro e quase não dá trabalho de manutenção. Às vezes invento algo novo, como uma forma melhor de fazer determinada coisa, ou fazer com que o sistema cadastre sozinho os resultados processados por um equipamento laboratorial qualquer. É bem legal imaginar algo e fazer acontecer, e se não bastasse, funcionar! =)

Então... Como posso me definir profissionalmente? Programador? Analista de Sistemas? Garoto de Programa? rs... Não sei, só sei que adoro o que eu faço, e sei que devo agradecer a Deus por isso, pois eu tive apoio pra fazer o que eu queria, e é raro encontrar pessoas plenamente felizes em seus empregos.

7 comentários:

Guará Matos disse...

Garoto bom tai!
Cumprimentos, amigo.

ABraços.

Talles Azigon disse...

gente a dear Catiaho havia me dito que você mexia com esses negócios de Informática, pcs mas não sabia que era assim algo de longa da data ^^

Jota Brasil disse...

Sempre me intrigou essa parada de você "fazer programas"

Quer dizer que começou na infância???? (Galera...vocês não tem ideia do que esse menino faz com as mãos e a cabeça em seus...programas...)

Maria Helena disse...

Meu querido Lupo,
Sabe que consigo enxergar sua alma pelo sorriso da foto? Coisas que eu não explico. Acontece com algumas pessoas. Olho para você e é como se já fosse meu amigo há decadas, embora você tenha poucas...rsrs, e que tivéssemos muita afinidade.
E, pensando bem, já temos uma que é: aliar poesia e sensibilidade às Ciências Exatas. Eu também sou da área de exatas, além de ser Psicóloga sou Economista e fui professora de Matemática por 15 anos. As pessoas costumam rotular as pessoas de exatas como racionais e insensíveis. E estamos aí para provar que soubemos fazer um casamento perfeito entre as duas áreas. Parabéns pela bela trajetória. Parabéns por SER num mundo onde TER é prioridade para muitos.
Amei sua postagem e me percebi nela.

FERNANDO disse...

Oi, Lupo.
Vim retrebuir sua visita e confesso que fiquei impressionado com seu CV. Realmente, é de se tirar o chapéu.
Confesso que programação não é o meu forte, embora já tenha tido vontade de expandir meus horizontes para essas paragens. Quem sabe um dia... Quando nada, já sei que tenho alguém com quem esclarecer minhas dúvidas (risos).
Parabéns, amigo, e votos de muito sucesso.

Claudio Ferreira disse...

Achei este post hoje por acaso, apenas surfando pela internet. Fiquei muito feliz, e com certo orgulho por fazer parte. Não se incomode e nem se cobre por nada, tenha certeza que tudo foi como tinha que ser. Parabéns...!!

Lupo disse...

Obrigado chefe! rs

Postar um comentário

Obrigado por comentar!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...